Arquivo mensal: setembro 2010

Passeio de moto

Se eu tinha alguma pretensão de ter uma moto algum dia, melhor eu tirar o meu “cavalinho da chuva” (peraí, o tantotupiassu tá tomando banho de chuva?). Depois desse vídeo, se os meus familiares verem: tchau, tchau sonho. Olhem como o cara pilota. Cortando carros, passando por entre eles, andando na contra-mão, empinando a moto. ÉGUA!

Vi no: Insoonia

Escolha seu tablet

Vai escolher um tablet? Veja quais as opções já existentes e as que vão chegar em um futuro próximo:

Samsung Galaxy

Toshiba Folio

HP Slate

BlackBerry Playbook

Apple Ipad

O Playbook (Blackberry) foi o que mais me impressionou na nova geração de tablet. Tem um nicho que, se muito bem aproveitado, deverá ser o grande filão para o Playbook: o nicho empresarial. Mas meu objeto de desejo, meu sonho de consumo, neste momento, é o Ipad. Muito mais pelo IOS e o sistema já consolidado de aplicativos que oferecem possibilidades infinitas.

Política brasileira

Respeitável público!!!! Hoje tem goiabada? Tem, sim senhor! Hoje tem marmelada? Tem, sim senhor! E o palhaço o que é?…..Opa, porquê comecei o post com essa abertura de circo? Ah sim, porque vou falar sobre política. Pior, a política brasileira. Inspirado no Podcast do Descontrole (que por sinal foi ANIMAL) e o post do Lorotas da Doca (ANIMAL também) escrevo este post.

Apesar de não ter visto a novela O bem amado tudo o que já li sobre a novela e seu indiscutível ícone bizarro Odorico Paraguaçú me remete aos nossos atuais (atuais? Como o Sarney?) e graciosos políticos brasileiros. Apesar de começar o post com o trecho de abertura de um espetáculo circense e ter colocado a imagem de um palhaço, o post é sério. Muito sério! Tão sério que estou rindo muito. A capacidade de algumas figuras de se colocarem em posição de auto-sabotagem é impressionante. E o pior: a maior auto-sabotagem somos nós mesmos quem praticamos, pois elegemos essas figuras dignas de circo para comandar o picadeiro que se chama Brasil. Vejam essas figuras: (não sei de quando são essas candidaturas, mas se hoje tem alguém que vá dizer que pior do que está não fica. SIM, FICA! MUITO PIOR!)

Antes de terminar, aqui um vídeo do Odorico Paraguaçú, intrépido político brasileiro:

E como dizia o general francês Charles de Gaulle:

O Brasil não é um país sério.

Rostos em 3D

Confiram um novo sistema que os pesquisadores da Universidade de Waseda, no Japão desenvolveram para criar imagens 3D a partir de fotos (2D). A tecnologia por trás do sistema permite que se crie imagens em terceira dimensão com uma velocidade de 1.2 segundos.

Ah vá, gerar imagens de orientais tinha que ser rápido mesmo, não é? (Vou apanhar em 3…2…1…)

Vi no: Mundo Tecno

Novo Airbus

Fuselagem transparente no novo Airbus. Esse é o projeto novo da grande empresa de aviação. Imagina você sentadinho na sua poltrona e poder olhar para cima e ver todo o céu, olhar para baixo e ver as cidades por onde se passa, os oceanos por onde se sobrevoa. Seria muito LOUCO! Tremendamente assustador, mas muito LOUCO!

Vi no: Meio Bit

Facebook x Orkut

Muito legal esse vídeo fazendo analogia à briga entre facebook e orkut entre as redes sociais. Curtam aê…

Vi no TecnoZilla

Pagando o metrô

Já vi essa ideia em outro lugar. Acho que era no Japão. Já teve uma reportagem sobre isso no Japão na Globo, não? Mas vejam que agora a VISA está testando em Nova York e a possibilidade é de pagamento com o Iphone. É muito legal ver tudo convergindo para o celular, mas ao mesmo tempo é de ficar temeroso. O que acontecerá quando algum larápio nos furtar o celular? Égua (expressão paraense usada em tudo), será um “Deus nos acuda!”. Mas vamos curtir o vídeo abaixo…

Vi no: Mashable

O que é um pensamento?

O que é um pensamento? Além da resposta biológica que acredito estar situada na definição de conexões das sinapses do nosso cérebro, me vem a mente esse questionamento: o que é um pensamento? Uma força que nos impulsiona? Que nos faz gritar sem ser ouvido? Chorar sem transparecer para ninguém? Viajar sem sair do lugar? Navegar sem maré? Sonhar?

No meu dia-a-dia já me peguei parado, só pensando, sem fazer nada, viajando, sonhando, dando asas a minha imaginação, vivendo em outro mundo, utópico, desejável, perfeito ou somente refletindo os fatos do cotidiano, da minha vida, do meu mestrado, dos meus amigos, da minha família. Me pego parado pensando quando estou em casa, tomando banho, me arrumando, andando pelas ruas, almoçando, escutando música, no ônibus, no metrô e em muitas situações e lugares. Acho que é um sintoma de quem mora sozinho: passar muito tempo divagando em seus próprios pensamentos. E para vocês, o que é um pensamento? Já se pegaram parados, só pensando?

Sábado

Curtia muito o som deles. Ainda curto! Blink 182 – I Miss you.

Bom final de semana a todos…

Brasil – País do presente

No Blog do Barbeiro, acompanhei a entrevista do Alexander Busch, jornalista alemão que já está há quase duas décadas no país. Lá ele fala sobre o seu livro, título deste post (Brasil – País do presente), onde monta cenários das perspectivas políticas e econômicas do Brasil, quais as vantagens competitivas (olha eu usando um termo do meu curso ^^) do nosso país e o que pode ser feito para a ascensão do Brasil como verdadeira potência econômica mundial. Acompanhem a entrevista!

A Revista HSM Management (Setembro/Outubro – 2010) também retrata alguns dos pontos fortes do nosso país, como a maior internacionalização das nossas empresas (até as empresas familiares estão se internacionalizando) e o aumento da importância dos BRIC’s (Brasil, Rússia, Índia e China) no cenário mundial. Na Revista é feito uma matriz SWOT (S – Strength = Força; W – Weaknesses = Fraquezas; O – Opportunities = Oportunidades e; T – Threats = Ameaças) onde as forças e oportunidades se concentram em:

– Boas doutrinas político-econômica estabelecidas no governo FHC;

– Consolidação e aprofundamento do modelo político-econômico do governo FHC pelo governo Lula;

– Melhoria da classificação do país no nível internacional;

– Diversificação das exportações brasileiras;

– Consenso político e empresarial na política macroeconômica;

– Grande e crescente mercado doméstico;

– Setor bancário, até certo ponto, imune e protegido aos ativos tóxicos que corromperam bancos de países desenvolvidos e gerou a grande crise econômica mundial (e realmente no Brasil foi sentido apenas uma “marolinha”) e a não existência de setor financeiro “paralelo” como nos EUA ;

– Bancos estatais fortes;

– Boa evolução do mercado de capitais;

– Aumento da força de trabalho;

– Maiores investimentos estrangeiros;

– Expectativa de não-mudança no cenário político, apesar das eleições.

Essas, em resumo, são as forças e oportunidades do nosso país. Também acredito que o país está caminhando para um amadurecimento internacional, mas os problemas políticos funcionam como um verdadeiro freio para a alavancagem do Brasil para que se torne uma potência econômica mundial.