Fatídico 7 de Abril

Era pra ser um dia feliz, 7 de Abril, meu aniversário, 25 anos. Acordei, recebi ligações da família, da namorada, cesta de café da manhã, mensagens de amigos. Estava feliz e sorridente. Queria escrever um post no dia do meu aniversário. Desisti! Liguei a televisão, entrei no twitter e comecei a acompanhar os fatos que deixariam aquele 7 de Abril com gostinho de nunca mais vim a acontecer. A tragédia no RJ. Aquele horror que tomou conta daquela escola. Uma escola, um lugar onde as crianças devem ter suas segundas famílias. Um lugar onde as crianças devem aprender. Um lugar onde as crianças devem desenvolver suas capacidades. O louco (sim, porque não consigo vê-lo de outra maneira) entrou em uma escola, premeditadamente, e assassinou várias crianças. PREMEDITADAMENTE ASSASSINOU CRIANÇAS! Sério, eu não conseguia sorrir enquanto milhares de mensagens ia lendo no twitter, milhares de imagens ia captando na TV, milhares de sons ia escutando. A cada estímulo aos meus sentidos, mais me cortava o coração. Foi um dia triste, apesar de meu aniversário. E não senti vontade de escrever sobre o dia em que eu havia nascido.

O que fazer? Colocar seguranças armados nas escolas? Colocar detector de metais nas portas? O que fazer? Não acredito que essas sejam as maneiras para prevenir essas consequências. Para as consequências, primeiro é o desarmamento. ONDE DIABOS ESSE MALUCO CONSEGUIU AS ARMAS? Alguém se perguntou isso? Do tráfico? Das drogas? O Brasil já teve um plebiscito para desarmamento. Qual foi seu voto? Pense agora que o seu voto pode ter influenciado os acontecimentos do dia 7 de Abril de 2011, no Rio de Janeiro. Ah Maick, mas proibir o comércio de armas não vai impedir que criminosos adquiram suas armas subvertendo a lei. Com certeza, não. Mas a questão é: serão criminosos. E combater criminosos é função da polícia. Se é proibido comercializar armas, quem tem ou é da polícia ou é criminoso. PONTO! Isso é pra combater a consequência.

Combater a causa é muito mais difícil e eu realmente nem sei por onde começar em um caso como esse. Muito se falaram em bullying (tá na moda, né?), tocaram no ponto da religião (conseguiram criar um terrorista fundamentalista islâmico), tocaram no ponto da internet (O.o eu hein), até da barba do maluco falaram (que que isso tem a ver?). Ou seja, é uma seara que eu não tenho condições de argumentar. Deixo para quem tem mais conhecimento e que realmente possa fazer alguma coisa.

Basta a nós continuar nossas vidas, fazendo o bem ao próximo. Amando as pessoas. Amando nossos filhos (ainda não tenho os meus, mas meu coração ficou tão apertado como se eu tivesse). Ensinar as crianças que um mundo bom só depende de nós, seres humanos. Sim, existem criaturas que não se encaixam na categoria de seres humanos, mas são exceções. Um mundo bom de se viver só depende de nós. Em cada ato seu, todos os dias, em pequenos gestos, leve a bondade para com o próximo. Leve a bondade para com o ambiente (desculpem a contradição, mas esse maluco tivesse sobrevivido mereceria estar na cadeia para ver o que ia acontecer com ele lá junto de outros detentos. Não tenho sangue de barata também, né?).

Obrigado a todos que me deram os parabéns e que Deus conforte as famílias dessas crianças e receba-as em seu convívio. Esses pequenos anjos.

Caso queiram mais detalhes sobre o caso todo, clique aqui.

Anúncios

Sobre Maick Costa

Stay hungry, stay foolish

Publicado em 08/04/2011, em Sem categoria e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Comentaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s