Arquivo do autor:Maick Costa

Semente

Como não deixar registrado o que senti ontem? Como não transpor em palavras o que aconteceu em todo o país? Quero deixar registrado muito mais por mim e para mim do que por qualquer pessoa que possa ler e venha ler essas palavras. Quero crer que daqui algum tempo quando as mudanças realmente acontecerem eu possa voltar aqui e ler tudo e reviver cada arrepio que senti.

A era das redes. Grave muito isso, Maick. Favorite! (rs) É a era das redes que está tentando fazer algo diferente. É a era das redes que se mobilizou, se organizou, e saiu às ruas. É a tua era. Entende isso? Tua geração tá tentando fazer algo diferente. É é por isso que tu se mete, não é? Porque tu acredita que algo pode ser feito para melhor. Sempre acreditou. É foi isso que tu respondestes quando alguém te perguntou porque fostes no protesto, não foi? E tu também acredita na força da mobilização online. E que essa mobilização online, de pessoas inteligentes espalhadas por diversos cantos desse mundo, podem sim pensar, interagir, propor, pressionar e mostrar para os governantes o que deve ser feito. E essa geração saiu do online. E lógico que tu não podias ficar de fora.

No início de tudo, São Paulo e Rio de Janeiro deram as caras a tapa. Saíram às ruas para protestar. Protestaram. De maneira certa ou errada, protestaram. Por motivos difusos, protestaram. Protestaram e se sentiram acuados. Quem iniciou a violência, não sei. Pode ter sido os próprios manifestantes? Lógico que pode. Sempre há quem procure a violência ou ache que esse é o meio que vai justificar os fins. Pode ter sido a polícia? Lógico que pode também. Tu vistes em todos os telejornais o que estava acontecendo. Lestes em vários tweets, em vários posts, em vários perfis no facebook, em vários vídeos no youtube. A gota d’água foi o aumento do valor do transporte público. O tal dos R$ 0,20. Percebes, Maick? Gota d’água. Há um acúmulo de problemas sérios em todo o país, em todas as cidades. E esse acúmulo vem de anos atrás. Ano após ano acumulando problemas no transporte, na saúde, na educação, com corrupção. Essa foi só a gota d’água. Espero que quando tu (no caso, eu) fores ler isso mais no futuro que algo realmente tenha mudado e que tu não tenhas esquecido dos teus ideais que eu sei que tu corres atrás.

Após as primeiras manifestações, cresceu um basta que estava entalado na garganta de todos. Um basta para todos os desmandos políticos. Um basta para a roubalheira desenfreada. Um basta para o crime de se investir bilhões em uma Copa e deixar hospitais e escolas caindo aos pedaços. Um basta para a criminalidade gigantesca em nossas cidades. Um basta! Uma vontade de se manifestar. Uma vontade de se agigantar. De não fugir à luta. De sair do berço esplêndido. De sair às ruas. De gritar. De mostrar que não somos otários. De colocar a cara na rua e dizer que tem muita coisa errada e que todos estamos vendo e queremos fazer algo para mudar. E fizemos! Durante a manifestação, um dos gritos eram “saímos do facebook”. Que orgulho, Maick! Que orgulho! Tua geração se mobilizou online e deu o passo adiante. Ainda que tu acredite que é necessário um foco para que as manifestações tenham resultados concretos, te deu um imenso orgulho de ver aquela geração nas ruas, não foi? Te deu um imenso orgulho de estar ali, gritando e caminhando com todos. Pedindo por melhor transporte público, pedindo por melhor salários para professores, melhores salários para PMs naqueles gritos: “o professor vale mais que o Neymar”; “O PM vale mais que o Neymar”. Orgulho de protestar por um país melhor.

Sabes que ainda tem muito a se fazer. Sabes que muitos protestos devem acontecer. Sabes que muita cobrança tem de ser feita. Sabes que não vai ser fácil. Não, não vai. Mas um primeiro passo foi dado. Em uma contagem que fiz, 32 cidades brasileiras estavam com protestos agendados e mais 29 cidades espalhadas pelo mundo com protestos de apoio aos brasileiros. Dentre essas a tua Belém do Pará, tão maltratada por políticos e população. É por ela que tu lutas. É pelo estado do Pará que tu lutas. É pelo Brasil que faz valer tua voz nas ruas. Esse é o espírito de nação. Em teus 27 anos tu nunca presenciastes isso. Sempre ouviu as pessoas dizendo que não adiantava brigar, que não ia dar certo. Ainda escutas, não é mesmo? Mas tu se agarrou a uma analogia, não foi? A analogia da semente. Que as manifestações, essas primeiras, foram o desabrochar de uma geração inconformada, que não se sente representada por nenhum partido político, que está inquieta, que se mobiliza online e agora mostrou que vai às ruas. Essa semente que foi tratada com a inércia de anos atrás baixando a cabeça. Essa semente que agora precisa ser regada com inteligência, política e emocional. E tu queres estar no meio, não é? Eu sei que queres. Espero que quando tu voltes a ler isso, essa geração tenha dado o segundo, o terceiro e todos os passos adiante necessários. Força de vontade não falta. E tu tens de sobra. Espero que contagies o próximo para que mais pessoas se unam, se agigantem, e façam valer seus direitos. Boa sorte, Maick. Conto contigo.

#MudaBrasil #ChangeBrazil #BelemLivre #OGiganteAcordou #ProtestoBR

Anúncios

Ontem, hoje ou amanhã?

“As criaturas de fora olhavam de um porco para um homem, de um homem para um porco e de um porco para um homem outra vez; mas já era impossível distinguir quem era homem, quem era porco.” (ORWELL, G. 1943)

20121017-104326.jpg

Gerenciador financeiro pessoal

Voltando às atividades bloguísticas. Vamos logo ao que interessa. Você gosta de gerenciar suas finanças pessoais? Ter o controle do seu saldo bancário, seus cartões de crédito, suas poupanças, seus investimentos, o que tem na carteira? Gosta de saber por qual “ralo” seu rico dinheirinho está se esvaindo? Então seu objetivo é, como eu, encontrar um gerenciador para ajudar nas finanças pessoais.

Já testei vários métodos de controle financeiro, desde caderninho (antes da “explosão” do mundo web. Sim, quando adolescente anotava os meus gastos em um caderninho), planilhas em excel, bloco de notas para as despesas diárias, e vários outros métodos. Com a chegada dos smartphones, vieram os aplicativos. E nesse quesito, também já testei vários. Hoje estou com o MoneyWiz.

O Moneywiz é um aplicativo para iphone, ipad e mac para ajudar você a gerenciar suas finanças pessoais. Um dos grandes problemas nos gerenciadores financeiros e nos nossos controles diários são os pequenos gastos do dia-a-dia. Aqueles R$ 5,00 que você comprou um refrigerante; R$ 10,00 que você tirou da carteira para pagar o estacionamento; Aquele lanche da tarde, e outros são os pequenos gastos que geralmente não controlamos e por onde o dinheiro se esvai rapidamente sem percebermos. O que é necessário então que os gerenciadores financeiros pessoais tenham? Sincronização rápida e funcional e uma interface simples, para que você possa adicionar um gasto do dia-a-dia de maneira rápida e que depois, ao abrir o notebook, esteja tudo lá para uma análise mais acurada.

Vários outros aplicativos que testei tinham na sincronização um dos grandes problemas. Precisavam de uma sincronização manual para que os dados do celular fossem para o notebook e vice-versa. Com uma conta na nuvem, isso não é mais necessário. No Moneywiz a sincronização é um dos pontos que mais me agradou. Rápida! E sem precisar de acionamento manual.

O outro ponto que destaquei como altamente relevante: a simplicidade da interface. Você pode criar várias contas (caixa, banco, cartões, poupança, investimento), criar orçamentos e controlar o quanto você já gastou e o quanto você pode gastar em determinada categoria, gerar relatórios de categorias e agendar receitas e despesas para não perder a data de uma conta ou para programar a data de recebimento do seu salário ou outras receitas. Um aplicativo bem intuitivo e com uma interface atraente.

Como ponto negativo, ao agendar uma receita ou uma despesa e se uma dessas acontecer antes da data programada a baixa da despesa ou da receita fica com a data registrada e não do ato, mas isso não interfere em nada. O Moneywiz tá na AppStore. E por aí, qual aplicativo estão usando?

A marca de São Paulo

Uma marca para a cidade de São Paulo. Já que temos uma marca para o Brasil, porque não para uma cidade? O órgão de turismo da cidade de São Paulo – SPTuris estabeleceu o desafio de construção da marca. Os objetivos que a marca deveria atingir eram: valorizar diferenças, mostrar contrastes e respeitar culturas que transcendem a principal capital do Brasil.

O vermelho – MASP; O amarelo – Liberdade; O verde – parque Ibirapuera; Os azuis – Avenida Paulista e rios da cidade.

O que é mais importante, para mim, é que a cidade ganhando uma marca, deixa-se de divulgar esse ou aquele governo. Acaba-se com a mudança de cores a toda nova entrada de governantes. Um ponto muito positivo para a gestão pública que reduz gastos desnecessários. Sem contar que padroniza-se os investimentos turísticos em prol da cidade. Facilita a divulgação da cidade para a atração de turistas. Melhora a visibilidade. E ainda tem possibilidade de receitas com produtos licenciados. Curtiram a marca? Acredito que outras cidades mereçam isso, hein?

Fonte: Meio & Mensagem

Brasil…sil…sil…sil!!!

Brasil, 31ª marca mais forte do mundo. A consultoria FutureBrand – que mede a credibilidade da imagem do país no mundo – divulgou o Country Brand Index (Índice de marca do país) mostrando que o nosso país tupiniquim saltou da 41ª posição para a 31ª posição entre 113 países. Itens como qualidade de vida, facilidade para geração de novos negócios, consciência ambiental, turismo, cultura, liberdade política, tolerância, sistema jurídico e liberdade de expressão são avaliados pela consultoria. O maior crescimento entre os 50 primeiros. Entre os BRICS (Brasil, Rússia, India, China e África do Sul) o Brasil ocupa a 2ª colocação, atrás apenas da India, entretanto foi o único país que subiu de posição na tabela. Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 atraíram e atrairão muitos investimentos, valorizando o Real, o que faz com que o país seja melhor avaliado. O que isso significa? Vamos todos poder comprar nossos PS3 por R$ 400,00? Calma gente. (Bem que eu queria =[ ). Abaixo segue o ranking completo dos 113 países.

Essa melhora na reputação do Brasil faz com que a atenção do mundo se volte para cá. Estamos vendo um outro grande movimento de grandes empresas em direção ao Brasil: Netflix, Amazon, Apple (com rumores de uma App Store brasileira), Sephora (empresa francesa de cosméticos que planeja aportar aqui em 2012), Kirin (empresa japonesa que comprou a Schin) e muitas outras. Isso cada vez mais mostra a força do país. Lógico que temos toda aquele discusso de “ah, mas temos muitos problemas, corrupção, blá, blá, blá”. Sim, verdade. Temos. E acredito que sempre vamos ter. Mas a pujança econômica do Brasil está nos levando a patamares mais altos. (Nunca antes na história do país) E pressões internacionais por melhor governança pública e privada virão com essa melhora de imagem. Todo sucesso, tem seu preço.

Fonte: Meio & Mensagem; FutureBrand

Como a lua se formou?

Vídeo do Museu Americano de História Natual que conta a formação do nosso satélite natural, ou como chamamos: Lua.

Para quem não conseguiu ler em inglês. A formação da Lua tem um início violento. Há 4,5 bilhões de anos atrás, quando os planetas do Sistema Solar ainda estavam em formação, a jovem Terra brilhava com uma temperatura de mais de 1700•C. Um objeto do tamanho de Marte orbitava a jovem Terra e acabou colidindo com o nosso quente planeta em formação. A colisão espalhou rocha derretida na órbita da Terra e, enquanto as rochas esfriavam, formaram-se porções maiores. Um mês depois, a Lua já tomava sua forma há pouco mais de 22,5 mil km de distância da Terra. Hoje a Lua encontra-se a uma distância de mais de 380 mil km da Terra. Os cientistas estudam a composição da Lua para entenderem como ela se formou.

ASIMO – Robô da Honda

É impossível não pensar que tem uma pessoa (ou um anão) dentro do Asimo de tão perfeito que são os movimentos dele.

Amazon mais forte no Brasil

A força da economia brasileira aumenta cada dia mais. Com isso, investidores injetam mais e mais “bufunfa” na nossa terrinha. Dessa vez, a gigante do varejo online norte-americano vai chegar “com os dois pés” em solo tupiniquim. O poder de compra do e-commerce brazuca está nas mãos de 27,4 milhões de brasileiros que compram produtos e serviços online. Com as editoras cada vez mais negociando direitos de livros junto à Amazon, a empresa decidiu disponibilizar versões dos livros em português para Kindle, competindo assim com as grandes varejistas daqui, como a Saraiva. Além disso, a Amazon está contratando um gestor de vendas do Kindle que ficará localizado em São Paulo, para atuação local. Web services e servidores da Amazon também vão se instalar no Brasil, mostrando que não é somente no setor de livros que a empresa está entrando no país.

A mesma pergunta feita no The Next Web é a que eu já me fazia ao começar a ler a notícia: e a logística? Vão mandar os produtos de lá ou vão adquirir um player local? De qualquer forma, isso só mostra a força cada vez mais crescente da economia brasileira. Isso também forçará as empresas locais a se desenvolverem melhor e mais rapidamente para enfrentar a concorrência elevada. Melhor para nós, consumidores, que teremos amplas opções de compras.

Vi no The Next Web

Cheguei! – Check-in automático

Todos conhecem o foursquare, correto? Chegamos em um local e, caso seja de nosso agrado, damos check-in para informar aos nossos amigos que estamos naquele local. Um dia até pensei que o foursquare pudesse implementar uma função que me permitisse marcar quais os lugares que quero dar check-in automaticamente, sem necessidade de abrir o aplicativo e realizar o check-in. Na hora vem conflitos de privacidade. Muito bem, o Arrived permite que você faça isso.

Você seleciona os locais que deseja automatizar o check-in. Ao chegar no local, utilizando o gps do seu celular, o aplicativo realiza o check-in. Seus amigos receberão um sms, ou caso também tenham o alicativo, uma mensagem no próprio aplicativo informando da sua presença no local. Você pode também automatizar para quais amigos deseja enviar esse check-in, criando listas. Hoje cheguei no meu bar favorito. Quero avisar aquela minha ~galerinha~ que estou aqui. Pronto! Automaticamente você avisará.

E se você colocar esse aplicativo no celular do seu filho(a)? Deixar marcado para receber mensagem quando ele(a) chegar da escola, que tal? Um dos alpha testers utilizou o aplicativo dessa maneira para que fosse avisado quando a sua filha de 13 anos chegasse da escola em casa. Se o problema é privacidade, você pode alterar as configurações para não fazer check-in automaticamente e até dar pause em alguns amigos. O objetivo do aplicativo não é ganhar pontos, como o foursquare, e sim avisar da chegada nos locais à pessoas específicas.

O que acharam? Configurando direitinho, eu acho uma “mão na roda”. Principalmente quando mudar de cidade para avisar aqueles amigos daquela cidade que você chegou ~na área~.

Vi no Mashable

Portal – Live action short film

Conhecem o jogo portal? Aquele de ação/puzzle? Eu já conhecia, mas ainda não havia jogado. Aproveitei uma promoção na Steam e comprei logo o 1 e o 2. Começo a jogar e me perco nas horas. Gosto muito de puzzles e quando enfrento um que não resolvo facilmente, fico jogando até conseguir. Pois bem, lançaram um curta-metragem baseado no jogo. Ficou muito bom! Aproveitem aí…

Vi no Cinema com Rapadura