Arquivos do Blog

Cowboys & Aliens

Quase um Jason Bourne do Faroeste.

Cowboys & Aliens conta a história de um estranho desmemoriado que chega a cidade de Absolution,controlada pelo impetuoso Coronel Dolarhyde. Neste mesmo momento, a cidade é atacada por naves espaciais de alta velocidade, capturando pessoas, e espalhando destruição. Aos poucos o pistoleiro vai recuperando a memória, relevendo quem ele é e de onde veio, percebendo que detém um segredo que pode dar uma chance a cidade.

Começei o texto fazendo paralelo com Jason Bourne, da Trilogia Bourne (A Identidade Bourne, A Supremacia Bourne e O Ultimato Bourne), por que achei “incrível” o fato dele acordar no meio do nada, e já saber se defender de alguma maneira. Depois você se lembra de Guerra dos Mundos.

É como andar de bicicleta.

Tiroteios, briga de bar, naves, ouro, bandidos, cavalos, pulseira alien, naves espaciais, índios.. São algumas das ferramentas desse choque de dois mundos. Pode ser meio estranho para as pessoas, misturar dois mundos tão distantes entre si: O amarelado, e sujo do faroeste, com todos os seus Saloons, pistoleiros e brigas, com o Chumbo escuro de formas estranhas. E essa imagem, realmente ficou estranha. Ver um verdadeiro “bang bang” além da imaginação, onde sangue humano e aliénigena quase se misturam, Cowboys & Aliens se perde na oportunidade de mostrar a quantidade de possibilidades que um evento desse pode criar na mente das pessoas.

Ao decorrer do filme, tudo vai ficando mais fácil, até previsível algumas vezes, para um filme de ação que mais conta a história, do que mostra. Se é que pode se dizer assim.

Sam Rockwell, que personifica um dono de bar, fica responsável pela parte cômica do filme de Jon Favreau, que também dirigiu Homem de Ferro 1 e 2 além representar, com classe, um papel de mesmo objetivo. A participação de Rockwell aliás, foi pequena. Talvez o motivo seja o fato de tantos roteiristas terem “metido seus dedinhos” no script do filme. Cada um correndo para um lado, dando em lugar nenhum.

Mas o filme não é um desastre como você imagina. Para alguns, é “um filme pipoca” daqueles que você não perde a viagem e o dinheiro ao cinema. Entreterimento de gosto amplo, afinal.

Um posssível fato engraçado é que, ao final do Filme, você provavelmente irá se perguntar se é realmente bom para as pessoas, ou não, ser abduzido por alienígenas.

Filmes II Guerra Mundial

O filme da semana, indicado nos comentários do primeiro post, é uma das obras-primas de Quentin Tarantino:

Once upon a time in a Nazi occupied France…

Como um bom filme de Quentin Tarantino, Inglourious Basterds tem as características marcantes do cineasta, como: letras garrafais pulando na sua cara em cores fortes, trilhas sonoras que parecem não se encaixarem com as cenas, mas que mesmo assim se tornam parte do filme de forma incrível, idiomas corretos dos países onde está acontecendo as cenas e sangue, muito sangue. Muito sangue! Apesar de já ter assistido a esse filme, segui a recomendação de uma amiga e, ao assisti-lo novamente, tentei olhar por outra perspectiva, capturando detalhes antes não percebidos.

Bastardos Inglórios está situado na II Guerra Mundial (deu pra perceber pelo título do post, né Maick?), mais precisamente na França ocupada pelos nazistas. Já me chama atenção no filme, a tentativa de mostrar a população tentando levar suas vidas de forma normal, andando pelas ruas como se não houvesse acontecido nada. Um grupo de judeus-americaos, liderados pelo Tenente Aldo Rayne, possuem a missão de torturar os nazistas e levar medo a quem levava medo à humanidade. No país, a atuação das forças militares alemãs: como a SS que “cuidam” de tudo e de todos que por ali passam. E no filme isso fica muito bem claro.

A SS, Schutztaffel que em português significa “Tropa de proteção”, era a unidade de elite de Hitler. Inicialmente, a SS era uma organização paramilitar que, por sua independência, chegava até a ameaçar Hitler. Sob o comando de Heinrich Himmler (1929 – 1945), a SS cresceu e chegou a ter um exército próprio, independente do exército alemão e incorporou outras organizações militares, como a Gestapo (serviço secreto alemão) além de controlar os campos de concentração. Ligada ao partido nazista, conseguiu exercer uma grande força política no Terceiro Reich, pois a quantidade de soldados chegava em torno de um milhão, selecionados pela sua “pureza racial”. Um detalhe a mais: a SS possuía seu próprio uniforme:

Esse prelúdio todo para falar sobre o personagem que mais se destaca no filme Bastardos Inglórios: o Coronel Hans Landa, interpretado pelo ator Christopher Waltz (Cannes – 2009; Globo de Ouro – 2010; Oscar – 2010)

Cruel, impiedoso, frio, calculista, mas extremamente inteligente. Sem dúvida é o personagem que mais se destaca em todo o filme. Seja pela sua audácia, seja pela crueldade, e muito mais pela inteligência que possui. Não compartilha das ideias nazistas, apenas trabalha para o partido nazista e faz, como ele mesmo diz, muito o bem o seu trabalho que é localizar pessoas, pois se entitula como um detetive. Tarantino diz que o personagem foi o que ele melhor inventou em toda a sua carreira e o diretor do filme afirmou que o ator deu de volta à Tarantino o filme, pela brilhante atuação.

O filme mostra um dos possíveis fechamentos da II Guerra Mundial com uma emboscada à Hitler e a todo o alto comando nazista, como de fato houve várias tentativa para isso, mas na realidade nenhuma obteve sucesso.

Eu fecharia o filme, se é que posso ter a pretensão de dizer isso, da seguinte forma: após o Tenente Alto Rayne entalhar a suástica na testa do Coronel Hans Landa, gostaria de ver, anos depois, o Coronel, em seu refúgio acertado no acordo, com a testa marcada com a suástica e letras garrafais vindo em sua direção com o título do filme: Bastardos Inglórios!

Os próximos filmes da lista serão: A Conquista da Honra e Cartas de Iwo Jima, indicados no último post. Indiquem mais nos comentários.

Fonte: Artilharia Cultural e Wikipédia

Filmes II Guerra Mundial

Inspirado pelo NerdCast sensacional sobre o Dia D, na II Guerra Mundial, vou começar uma peregrinação pelos filmes sobre a II Guerra Mundial. Começarei com nada mais, nada menos do que:

Vocês acreditam que eu nunca vi esse filme por completo? Como confio no bom gosto de vocês, gostaria de uma ajuda: indiquem nos comentários filmes da II Guerra Mundial que eu deva assistir. Farei isso uma vez por semana. Seguirei as indicações nos comentários, ok?

Atualizado às 03:30 – 04/05/2011

Eu ainda não tinha assistido por completo esse filme, sempre pegava partes e nunca ia até o final. Hoje fiz isso. Olha que eu sou chorão para filmes dramáticos, mas esse filme me fez chorar copiosamente. Não consigo mensurar o que pode ter sido tamanha mostruosidade que aconteceu. Mas de uma coisa podemos ter certeza: há bondade no coração do homem!

Aguardo recomendações para o próximo filme. =]