Arquivo mensal: novembro 2011

Brasil…sil…sil…sil!!!

Brasil, 31ª marca mais forte do mundo. A consultoria FutureBrand – que mede a credibilidade da imagem do país no mundo – divulgou o Country Brand Index (Índice de marca do país) mostrando que o nosso país tupiniquim saltou da 41ª posição para a 31ª posição entre 113 países. Itens como qualidade de vida, facilidade para geração de novos negócios, consciência ambiental, turismo, cultura, liberdade política, tolerância, sistema jurídico e liberdade de expressão são avaliados pela consultoria. O maior crescimento entre os 50 primeiros. Entre os BRICS (Brasil, Rússia, India, China e África do Sul) o Brasil ocupa a 2ª colocação, atrás apenas da India, entretanto foi o único país que subiu de posição na tabela. Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 atraíram e atrairão muitos investimentos, valorizando o Real, o que faz com que o país seja melhor avaliado. O que isso significa? Vamos todos poder comprar nossos PS3 por R$ 400,00? Calma gente. (Bem que eu queria =[ ). Abaixo segue o ranking completo dos 113 países.

Essa melhora na reputação do Brasil faz com que a atenção do mundo se volte para cá. Estamos vendo um outro grande movimento de grandes empresas em direção ao Brasil: Netflix, Amazon, Apple (com rumores de uma App Store brasileira), Sephora (empresa francesa de cosméticos que planeja aportar aqui em 2012), Kirin (empresa japonesa que comprou a Schin) e muitas outras. Isso cada vez mais mostra a força do país. Lógico que temos toda aquele discusso de “ah, mas temos muitos problemas, corrupção, blá, blá, blá”. Sim, verdade. Temos. E acredito que sempre vamos ter. Mas a pujança econômica do Brasil está nos levando a patamares mais altos. (Nunca antes na história do país) E pressões internacionais por melhor governança pública e privada virão com essa melhora de imagem. Todo sucesso, tem seu preço.

Fonte: Meio & Mensagem; FutureBrand

Anúncios

Como a lua se formou?

Vídeo do Museu Americano de História Natual que conta a formação do nosso satélite natural, ou como chamamos: Lua.

Para quem não conseguiu ler em inglês. A formação da Lua tem um início violento. Há 4,5 bilhões de anos atrás, quando os planetas do Sistema Solar ainda estavam em formação, a jovem Terra brilhava com uma temperatura de mais de 1700•C. Um objeto do tamanho de Marte orbitava a jovem Terra e acabou colidindo com o nosso quente planeta em formação. A colisão espalhou rocha derretida na órbita da Terra e, enquanto as rochas esfriavam, formaram-se porções maiores. Um mês depois, a Lua já tomava sua forma há pouco mais de 22,5 mil km de distância da Terra. Hoje a Lua encontra-se a uma distância de mais de 380 mil km da Terra. Os cientistas estudam a composição da Lua para entenderem como ela se formou.

ASIMO – Robô da Honda

É impossível não pensar que tem uma pessoa (ou um anão) dentro do Asimo de tão perfeito que são os movimentos dele.

Amazon mais forte no Brasil

A força da economia brasileira aumenta cada dia mais. Com isso, investidores injetam mais e mais “bufunfa” na nossa terrinha. Dessa vez, a gigante do varejo online norte-americano vai chegar “com os dois pés” em solo tupiniquim. O poder de compra do e-commerce brazuca está nas mãos de 27,4 milhões de brasileiros que compram produtos e serviços online. Com as editoras cada vez mais negociando direitos de livros junto à Amazon, a empresa decidiu disponibilizar versões dos livros em português para Kindle, competindo assim com as grandes varejistas daqui, como a Saraiva. Além disso, a Amazon está contratando um gestor de vendas do Kindle que ficará localizado em São Paulo, para atuação local. Web services e servidores da Amazon também vão se instalar no Brasil, mostrando que não é somente no setor de livros que a empresa está entrando no país.

A mesma pergunta feita no The Next Web é a que eu já me fazia ao começar a ler a notícia: e a logística? Vão mandar os produtos de lá ou vão adquirir um player local? De qualquer forma, isso só mostra a força cada vez mais crescente da economia brasileira. Isso também forçará as empresas locais a se desenvolverem melhor e mais rapidamente para enfrentar a concorrência elevada. Melhor para nós, consumidores, que teremos amplas opções de compras.

Vi no The Next Web

Cheguei! – Check-in automático

Todos conhecem o foursquare, correto? Chegamos em um local e, caso seja de nosso agrado, damos check-in para informar aos nossos amigos que estamos naquele local. Um dia até pensei que o foursquare pudesse implementar uma função que me permitisse marcar quais os lugares que quero dar check-in automaticamente, sem necessidade de abrir o aplicativo e realizar o check-in. Na hora vem conflitos de privacidade. Muito bem, o Arrived permite que você faça isso.

Você seleciona os locais que deseja automatizar o check-in. Ao chegar no local, utilizando o gps do seu celular, o aplicativo realiza o check-in. Seus amigos receberão um sms, ou caso também tenham o alicativo, uma mensagem no próprio aplicativo informando da sua presença no local. Você pode também automatizar para quais amigos deseja enviar esse check-in, criando listas. Hoje cheguei no meu bar favorito. Quero avisar aquela minha ~galerinha~ que estou aqui. Pronto! Automaticamente você avisará.

E se você colocar esse aplicativo no celular do seu filho(a)? Deixar marcado para receber mensagem quando ele(a) chegar da escola, que tal? Um dos alpha testers utilizou o aplicativo dessa maneira para que fosse avisado quando a sua filha de 13 anos chegasse da escola em casa. Se o problema é privacidade, você pode alterar as configurações para não fazer check-in automaticamente e até dar pause em alguns amigos. O objetivo do aplicativo não é ganhar pontos, como o foursquare, e sim avisar da chegada nos locais à pessoas específicas.

O que acharam? Configurando direitinho, eu acho uma “mão na roda”. Principalmente quando mudar de cidade para avisar aqueles amigos daquela cidade que você chegou ~na área~.

Vi no Mashable

Portal – Live action short film

Conhecem o jogo portal? Aquele de ação/puzzle? Eu já conhecia, mas ainda não havia jogado. Aproveitei uma promoção na Steam e comprei logo o 1 e o 2. Começo a jogar e me perco nas horas. Gosto muito de puzzles e quando enfrento um que não resolvo facilmente, fico jogando até conseguir. Pois bem, lançaram um curta-metragem baseado no jogo. Ficou muito bom! Aproveitem aí…

Vi no Cinema com Rapadura

Wall-E de verdade

Falem a verdade, só eu fiquei assim?

Vi no Arena Geek

Cinema 4D

2012. Assistiremos ao fim do mundo em cinemas 4D. A Cinépolis, empresa mexicana de cinemas, trará ao Brasil o cinema 4D. São Paulo e Curitiba serão as cidades contempladas na estreia. Cinema onde você sentirá frio, calor, vento, chuva (?), sentirá perfume (aquela atriz cheirosa… ai ai), sentirá odores (quero nem imaginar o tipo de filme), sentirá a cadeira vibrar (não pensem besteira, viu?).

Qual será o melhor filme para assistir em um cinema 4D? Aí vai meu palpite: filmes de terror. Imaginem sentir um ventinho frio na nuca na hora do suspense? É de arrepiar os cabelos, literalmente. Sentir um odor de enxofre se o filme tiver demônios, possessões e afins? Já imaginaram? Para filmes assim, será melhor ter penico debaixo das poltronas…

Fonte: Exame

Preocupação com a sua imagem na web

Você, como aspirante a um cargo profissional, se preocupa com o que está disponível em seus perfis? Já falei aqui sobre outros casos de utilidade das redes, tanto acadêmica quanto profissionalmente. E você, como recrutador? Se preocupa com as informações que estão disponíveis do seu funcionário ou futuro funcionário?

Aquela foto do funcionário, na “baladinha” rodeado de amigos, cerveja lhe preocupa? Você, como funcionário está preocupado com as fotos? E todos os recursos de privacidade nas redes sociais virtuais para que nem todas as informações fiquem 100% expostas. Você as usa?

Lendo notícias de que estudantes temem que futuros patrões vejam o que está disponível por exemplo, no Facebook, me causa uma certa estranheza. Em parte, tem um grau coerente de preocupação. Aquela foto, “trêbado”, daquela festa, em que você está com uma cara de quem está sendo possuído pelo “demônho” realmente não deve ficar disponível para toda a web. Nem sua família ficará contente em lhe ver assim. Que dirá um futuro patrão. Mas aquela foto, tirada em roda de amigos, em torno de cervejas, normal de muitas pessoas deve sim, na minha opinião, ficar disponível. Ao menos mostra que você tem um mínimo de convivência social. Que sai para conversar. Interagir com as pessoas (no mundo real, ok? Não vale interação online). Acredito que isso é importante. Já participei de entrevistas onde me perguntaram o que eu gostava de fazer nos meus momentos de diversão. Respondi que gostava de sair com amigos, curtir um bom papo, uma cervejinha, um cineminha. Perguntei o porque dessa pergunta ter sido feita e para minha surpresa (ou não), a resposta foi de que a convivência social, um mínimo dela, é extremamente importante para o desenvolvimento profissional.

E você, funcionário? Está assim extremamente preocupado com o que está disponível na web? E você, recrutador?